Passar para o Conteúdo Principal

Chaves Património

pesquisar
 

Capela da Granjinha

Património de Interesse Público
Granjuinha 1 980 2500
Datação: séc. XIII

Um dos mais interessantes templos românicos de Trás-os-Montes, pela singularidade da decoração empregue na construção. As origens do povoamento no local são bem anteriores, estando documentada uma fase romana, de que procedem bases e fustes de colunas, fragmentos de mosaicos e uma estátua de mármore, entre abundante cerâmica e outro material. Com probabilidade trata-se de uma villae romana, localizada num troço fértil da estrada que ligava Aquae Flaviae a Bracara Augusta. As sondagens aqui efetuadas revelaram ainda uma continuidade de ocupação pela Alta Idade Média, o que faz da Granjinha um local privilegiado para o estudo dos séculos da Reconquista.

IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 516/71, DG, 1.ª série, n.º 274 de 22 novembro 1971

Capela de planta rectangular com a cabeceira e nave de comprimento semelhantes, diferenciando-as internamente o arco triunfal e a menor largura da cabeceira. No exterior apresenta-se quase como um único volume, diferenciando-se a cabeceira apenas pela menor largura. A fachada anterior, de muro espesso, apresenta um portal decorado com duas arquivoltas com animais afrontados. Sob as impostas, também decoradas, os 4 capitéis exibem temas zoomóficos e vegetalistas, apoiando-se em colunas lisas. Um nicho com uma cara, junto do capitel do lado N. representa uma inspiração local. Duas consolas, situadas ao nível do topo do portal, denunciam um alpendre desaparecido. Sobre a empena da fachada ergue-se um pequeno campanário com uma única ventana, e sobre a empena da cabeceira uma cruz terminal vazada. O telhado, com estrutura em madeira, apresenta duas águas revestidas com telha de aba e canudo.

In: http://www.monumentos.pt

Lugar da Granjinha