Passar para o Conteúdo Principal

Chaves Património

pesquisar
 

Igreja Paroquial de Nogueira da Montanha

Património de Interesse Público
Nogueira 1 980 2500
Datação: séc. XIII

IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 735/74, DG, I Série, n.º 297, de 21-12-1974

Originalmente construída, ao que se supõe - pela análise da estrutura e das pinturas a fresco existentes na parede interior, do lado Norte -, ainda no século XIII, inscrevendo-se, por conseguinte, na arquitetura românica da região, até que, em meados de oitocentos, a fachada adquiriu nova feição, incluindo o campanário de dupla ventana, acessível por escada adossada, que hoje ostenta. Com corpo formado por duas naves construídas em épocas diferentes e separadas, entre si, por dois arcos assentes em pilares cilíndricos, a igreja alberga capela-mor mais baixa do que a nave que a antecede, flanqueada por dois altares.

Povoado desde a Pré-história, como atestam as necrópoles, os testemunhos de arte rupestre, os povoados fortificados de altura (castros) da Idade do Ferro e as construções do período romano (calçada, ponte, barragem e villa) identificados até ao momento, numa comprovação da diversidade e da excelência dos recursos cinegéticos que dispunha às comunidades humanas que o percorriam e nele se fixavam, o território correspondente, na actualidade, ao concelho de Chaves confina, a Norte, com a Galiza, constituindo um dos seis municípios do 'Alto Tâmega'.

De entre a multiplicidade de construções erguidas ao longo dos tempos faz parte a "Igreja de São Miguel, paroquial de Nogueira da Montanha", originalmente construída, ao que se supõe - pela análise da estrutura e das pinturas a fresco existentes na parede interior, do lado Norte - , ainda no século XIII, inscrevendo-se, por conseguinte, na arquitectura românica da região, até que, em meados de oitocentos, a fachada adquiriu nova feição, incluindo o campanário de dupla ventana, acessível por escada adossada, que hoje ostenta.

Com corpo formado por duas naves construídas em épocas diferentes e separadas, entre si, por dois arcos assentes em pilares cilíndricos, a igreja alberga capela-mor mais baixa do que a nave que a antecede, flanqueada por dois altares.

Ao seu interior acede-se transpondo portal de lintel recto sobrepujado por janela da mesma feição, ambos rasgados no alçado principal terminado em empena assente em cornija e coroada com cruz pétrea e dois pináculos nas extremidades. É, no entanto, na fachada Sul que remanescem alguns dos elementos decorativos mais interessantes do templo, nomeadamente ao nível do portal que o rasga, em arco quebrado de duas arquivoltas e tímpano, e, sobretudo, do seu remate, composto de cachorrada lavrada com motivos geométricos, zoomórficos e antropomórficos.